segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Devaneios perdidos, delírios enlouquecidos...






PSICOGRAFIAS DE MINH'ALMA.

...e jamais permita que machuquem seu coração. sei que é difícil não entregá-lo às vezes, impossível não se ferir, mas tente tomar cuidados especiais, porque vc não merece que te façam isso. e tbm tente nunca ferir alguém. porque depois que se toma consciência, a dor parece maior em nós.

parece incrível, mas o amor é sempre dor! sempre dói! mesmo que o outro não nos faça sofrer, ainda assim sentimos dor. podemos ser os seres mais felizes, mas acabamos doendo de tanto amar! é tão intenso, tão inexplicável, inexprimível em palavras, que dói bem no peito...
acho que é a forma que os corações encontram para extravasar um sentimento tão perfeito, tão completo, que nenhuma atitude, palavra, ou o que quer que seja, consiga expor na totalidade a força, a verdade, a infinita beleza, desse sentimento que nos faz querer compartilhar a nossa maior riqueza com alguém, que é a nossa própria vida, entregue cega, total e incondicionalmente...

o amor é um sentimento duo...ao mesmo tempo que entorpece e cega, dói tanto (seja de alegria ou tristeza); e abre nossa visão para coisas antes ignoradas, ou nunca vistas...e até é capaz de mudar o formato das coisas que vemos.

esqueça as tristezas e alegrias. pense só nesse sentimento. e pense se independente do resultado final, se vc já amou até doer...doer de dentro prá fora, do coração, da alma, sem saber porquê, mas doendo. até quase se tornar dor física.

se vc já sentiu isso, vc sabe o que é amar incondicionalmente. se nosso corpo pudesse de alguma forma liberar isso, talvez, não sentíssemos dor num sentimento tão nobre....não pareceria tão estranho e sádico...

como ter o coração dentro de uma redoma, com espinhos em suas paredes internas, que a cada pulsação mais forte espeta mais e mais...e qto mais forte pulsa, mais queremos pulsar...
dor que se fosse sentida fisicamente, em sua totalidade, fatalmente padeceríamos...mas esta é a dor que adormece...o tudo que não basta...torpor delirante... nos apaixonamos pela dor, que se torna inevitável amar, mesmo sabendo que sangraremos irreversível e infinitamente...ainda que de tão fraco, o coração não resista mais e liberte a alma..
alma imortal tal qual o amor...carregará assim a incurável dor...
eternamente por onde for... sem sequer perceber que nada pode ser maior.
e nem nunca será.



By me: Jan/2004.


2 comentários:

tita coelho disse...

Prosa sofrida, porém bonita! Gosto dessa mistura de sensações.
Beijos menina

Rafaela disse...

"jamais permita que machuquem seu coração"

como fazer isso?
gostei do texto... me identifico em muitas partes...

amar... difícil e belo!