segunda-feira, setembro 29, 2008

Uma carta nunca entregue...










São Paulo, 03 de fevereiro de 1998

INTO MY LIFE

Esta noite ouvi falar de você. Como se eu não tivesse acordado dos sonhos que tive madrugadas atrás.
Disseram-me que ainda há uma esperança de um novo tempo para o amor. O amor que nunca morre, mas se manteve escondido durante todo esse tempo.
Aí me lembrei daquele sentimento que eu guardei (por covardia talvez), até que eu pudesse me reerguer sem que tivesse dor. Mas a dor é apenas um vestígio.
Então, assim que fiquei só, me encontrei com certas coisas do passado que havia guardado para não chorar mais. Mas as lágrimas, mesmo aquelas que doem não deixam cicatrizes externas ...
Mexi em tudo com cuidado e percebi que não haviam mais sofrimentos, porém tudo estava vivo, como se aquelas coisas tivessem sido dadas à mim ontem. Porque “os ontens” sempre se tornaram hoje e muitas vezes precisei fugir até o amanhã para conseguir dormir.
Senti os fatos voltarem rapidamente e então de novo, lágrimas subiram à tona me dando um sentimento de culpa, medo e perda. Você. ...
Hesitei em telefonar prá dizer o quanto eu queria estar te abraçando, sentir você como se sente a luz da lua quando se está dentro de um Vale de Árvores. Poder ver as cores verdadeiras brilhando dentro de você!
Preferi escrever porque as palavras se sufocaram em meio a soluços de saudade, silêncio e distância. E talvez isto tenha sido “bom” para nós.
Naquela manhã em que você foi embora sem se despedir, senti que uma grande parte de mim foi com você, para bem longe. Onde nunca tive esperança de poder chegar.
Foi como se eu tivesse perdido uma coisa tão valiosa e que eu daria de tudo para não perder. E já que perdi, queria de volta...

Jara come back to sing your song in hands of love again.
Come back to help me to dry my own blood that still cries in the ground, waiting for you...
I wanna run like a river to the sea, with you, honey...
I don’t want to stay to see you just when the stars down from the sky and the moon has turned red over one Tear Hill.
Jara, please, come back. Forgive all my mistakes. Forgive all my hard words that I said to you before.
Try to forget about all the things that I did and you can’t forgive. Hey, I miss you!!!
Did you forget about my love for you?
It is until the moon round trip ‘n return.
This time is the time for more than words, the time for you and me...
If you can’t understand me, just know that I’ll never forget you and never will try for it!
I ever loved you just the way you are ‘n now I love you more than yesterday. Belive me, you know my heart is true ‘n it is bleeding, crying calling your name...
If you don’t want me anymore I’ll understand your decision, but I need you ‘n all this time, in all this words that I wrote for you, I was just wanted say
PRI, I STILL LOVE YOU !!!


P/ Pricila Perossi.

by Bárbara Stracke.

imagem: Last Farewell by www.


6 comentários:

Vani Vomit disse...

que legal seu texto!!!

Então não vou sair da academia não, o treino é de fds! Ah outra coisa to sem skype de novo...vou ver se instalo em casa!!!

A testeira do meu blog,foi presente de um amigo...ficou legal, não?!
=*

Tyellë disse...

humm gostei...

a foto nova tah show !!!
bj

Belcrivelli disse...

Também já tive cartas que não entreguei, telefonemas que não fiz e conversas que não tive coragem de começar... Tenho tentado evitar...
Fiquei muito feliz com o seu convite! Adoraria conhecer você pessoalmente! Mas, depois do Fanmixcon 6, estou sem grana (comprei vários volumes de Sandman e parcelei).
Mesmo assim, obrigada! Quem sabe na próxima, hehehehe!

Rakechy disse...

Gosto muito do jeito que tú escreve.
Queria ainda escrever assim...rs
Eu já fiz muitas 'escritas', mas em caneta e no papel, bem guardadinho aqui!
^^
Hj, neeeeee, tem a possiilidade...rs

=***

Rakechy disse...

Aaaaaaaaaah!
é, "e hj neeeeeeeeem tem a possibilidade"
rs

E vc tá vendo a série? e meu nome nem é bizarro!

=*

Vani disse...

qdo eu tiver meu notebook...com certeza levarei...rsrrs